Notícias

26 de Janeiro de 2022 as 08:42

Mais de 80% dos internados não completaram o esquema vacinal contra a Covid-19

|
Compartilhe:

Em Corumbá, o crescente número de casos positivos tem provocado o aumento na taxa de ocupação de leitos. No momento há 17 pacientes internados com Covid-19, na rede pública e privada, sendo que 82,26% dos hospitalizados não tomaram as duas doses ou não se vacinaram. Apenas três, o que corresponde a 17,65% tomaram a segunda dose e o reforço, são idosos com 86 anos, 71 e 64, com diabetes e hipertensão.

O Secretário de Saúde, Rogério Leite reforça que a vacinação contra a Covid impede que a doença evolua para casos graves, que necessitem de internação. “A chance de a doença evoluir em quem não se vacinou é muito maior do que em quem está com a vacinação completa, os números de internados confirmam isso. E os que estão internados, que completaram o ciclo, são de idosos que possuem comorbidades”.

O Chefe do Executivo Municipal, Marcelo Iunes pede para a população se completar seu esquema vacinal. “O município está ofertando diariamente as doses, seja na Ladeira ou nas Unidades de Saúde, ainda há muitas pessoas que não tomaram a segunda dose da Janssen, sábado fizemos um dia D e somente 121 compareceram. Os profissionais da saúde estão trabalhando de segunda a segunda, precisamos do apoio e colaboração de todos os munícipes”.

“Há pesquisas em todo o mundo falando sobre a diminuição das internações em vacinados, recentemente foi publicado um estudo da Suíça, lá o risco médio de morrer por Covid, na onda Ômicron, estando sem vacina, é 9 vezes maior que se estando com a vacinação completa; e quase 50 vezes maior que estando com a vacina mais dose de reforço. Muitos podem se pensar: – A Suíça tem uma realidade econômica muito diferente do Brasil! Mas lá o Governo passou a exigir cerificados de vacinas para as atividades públicas e as crianças estão recebendo o mesmo imunizante que as nossas por exemplo, da Pfizer-Biontech”, complementa o Secretário de Saúde.

Foto: Renê Marcio

 

* o gráfico abaixo mostra o estudo realizado pelo Governo da Suíça.

Tag3